NOTÍCIA

3x3 no mundo

Resultados internacionais em 2019 são essenciais para chegar aos Jogos Olímpicos

Por: Edson Garcia

 

São Paulo, 8 de novembro de 2018 – A Federação Internacional de Basquete (FIBA) surpreendeu parte das pessoas envolvidas com o 3×3 ao anunciar no final do mês passado que faria um torneio classificatório para a Copa do Mundo. O torneio, que será em Porto Rico no mês de maio de 2019,  muda o sistema que vinha sendo adotado até então para a classificação dos países à Copa do Mundo adulta.

Ao invés de simplesmente convidar as 20 melhores equipes  femininas e masculinas pelo Ranking FIBA3x3, apenas 17 delas estão garantidas no principal torneio de seleções antes dos Jogos Olímpicos. As outras 3 vagas virão do classificatório de Porto Rico, que terá a participação do país sede e mais 7 países definidos por ranking, que ocupam da 18ª à 24ª posição. Porém, caso o campeão da Copa da Europa, Ásia ou África não tenha conseguido vaga direta, o mesmo ocupa uma das 7 vagas que seriam por ranking. Lembrando, a pontuação no Ranking FIBA3x3 das Federações é a soma dos 100 melhores atletas do país na categoria.

Já a Copa do Mundo será realizada no mês de junho, na Holanda, com 20 países em casa naipe, feminino e masculino. O Brasil conseguiu estar entre os países com vaga direta no masculino, pois tinha a 12ª posição quando foi fechada a janela de pontuação, no dia 1º de novembro. Entretanto, o feminino estava na 18ª posição e terá que jogar o classificatório, a menos que haja desistência de uma das equipes que tenham conseguido a vaga direta.

Num primeiro momento parece algo negativo, já que tínhamos traçado a estratégia de ficar entre os 20 melhores e, mesmo conseguindo, podemos ficar de fora da Copa Mundo novamente. Mas essa classificatória antecipa nossa preparação em um mês, dando maior tempo de trabalho para o treinador Douglas Motta e as atletas convocadas, além de oferecer mais um torneio de pontuação elevada, essencial para seguirmos na luta por uma vaga nos Jogos Olímpicos.

Os resultados conseguidos até 1º de novembro de 2019 serão essenciais para o ano atípico que a modalidade terá em 2020, devido aos Jogos Olímpicos. E os critérios de classificação para as 8 vagas (por naipe) da principal competição esportiva do mundo estão definidos, com grande dependência do Ranking FIBA3x3 e da Copa do Mundo. Confira:

  • 4 vagas diretas por Ranking FIBA3x3, não podendo ter mais de 2 do mesmo continente
  • 3 vagas pelo primeiro torneio pré-olímpico. Nele estarão o time sede do evento, os 3 melhores da Copa do Mundo 2019 e os 16 melhores ranqueados que não tenham vaga, completando 20 vagas. Há limite de 10 países por continente e as vagas são completadas por ranking caso algum dos times que se enquadrarem nos critérios acima já tenha vaga. Caso o Japão não tenha vaga ainda, ele ocupa uma das 16 vagas automaticamente.
  • 1 vaga pelo segundo pré-olímpico, que tem apenas 6 vagas, sendo uma do país que receber o torneio e 5 via Ranking FIBA3x3, mas apenas para países que não tenham participado do basquete nos últimos dois Jogos Olímpicos. Caso o Japão não tenha vaga ainda, ele ocupa uma das 5 vagas automaticamente.

Considerando os rankings masculino e feminino que estamos no momento, o Brasil se classificaria nos dois naipes para o pré-olímpico, que seria tão difícil quanto uma Copa do Mundo, com participação de EUA, Mongólia, Letônia e Eslovênia no masculino, e Rússia, Holanda, Japão, Hungria e Itália no feminino.