NOTÍCIAS

Dusan Bulut

A Sérvia se transformou em um dos grandes expoentes no Basquete 3×3 após a conquista, em 2012, do I Campeonato Mundial da modalidade. No centro das atenções desta seleção está Dusan Bulut, embaixador do 3×3 em seu país. Para a FIBA.com, o sérvio de 28 anos comenta sobre o que está por vir na temporada 2014 e relembra o momento mágico na Grécia, quando sagrou-se campeão do mundo.
Dusan Domovic Bulut, ao contrário da maioria dos basqueteiros no Brasil, consegue viver apenas do 3×3. Em seu país, ele trabalha junto a Federação Sérvia de Basquete e é responsável direto pela organização e promoção de torneios em Novi Sad, sua cidade natal. A oportunidade de adquirir seu sustento exclusivamente por meio do 3×3 aconteceu somente em 2012, quando foi convocado para o Campeonato Mundial, em Atenas. Até então, Bulut passava seu dia em um escritório e somente à noite corria para a quadra.
Seu grande objetivo para este ano está em Moscou, que sedia o II Campeonato Mundial de 3×3. Foi exatamente na capital russa, onde Bulut guarda a lembrança de ser eliminado na semifinal com seu time Basket 3×3 Novi Sad. Faltavam 50 segundos e a equipe de Bullet liderava o placar com 5 pontos de vantagem contra Thorex, da Eslovênia.
“Não sou supersticioso, mas é bom voltar à Rússia depois de sofrer uma das derrotas mais sofridas da minha carreira no Moscou Open 3×3. Foi inacreditável ver como eles conseguiram acertar todos os arremessos, estavam imparáveis. Desta vez, quero ir até lá e resolver essa pendência. Meu time tem capacidade suficiente para ganhar outro Mundial”, disse o sérvio.
Se a próxima sede do Campeonato Mundial não lhe traz boas recordações, o torneio em si reserva na memória de Bulut uma de suas maiores conquistas na vida.
“Lembro-me de receber a convocação por telefone, dos treinos preparatórios e sempre a imagem de que eu buscaria a medalha de ouro. Conseguir o título mundial foi algo incrível, muito emocionante. Lembro-me que meses após o evento eu vi no jornal uma foto do nosso time com o troféu, isso é algo que dinheiro nenhum no mundo pode comprar. Essa conquista mudou tudo na minha vida”, enaltece, citando os companheiros Marko Savic, Marko Zdero e Milan Boskovic que bateram a França na grade final.
A temporada 2014 sem dúvida será marcante para os jogadores e amantes do 3×3. “Sem dúvida será um grande ano para todos. Espero que o esporte continue crescendo e que eu possa utilizar minha oportunidade de jogar o 3×3 para desenvolver a modalidade na Sérvia, onde há muitas quadras de basquete”, conclui.

Gostou do conteúdo? Compartilhe com um amigo/a!

Hall da Fama

São Paulo DC

Gustavo Bracco, Ismar Neto, Luiz Felipe Soriani...

Notícias

Mais Notícias

Search