NOTÍCIA

Votação aberta para o Hall da Fama 2018

Por: Edson Garcia

 

São Paulo, 10 de dezembro de 2018 – Você conhece a história do basquete 3×3? Para um esporte criado recentemente, há muitas histórias a se contar, como a entrada nos Jogos Olímpicos a partir de Tóquio 2020. Esse era um objetivo da Federação Internacional de Basquete desde a criação do 3×3, inclusive realizando o primeiro evento oficial da modalidade nos Jogos Olímpicos da Juventude, em 2010.

Desde então, foram 5 edições da Copa do Mundo, que também foi criada para as categorias Sub18 e Sub23, além de 7 edições do World Tour, o circuito profissional da modalidade, que representa o nível mais alto do esporte. Em 2018, o World Tour realizou 10 etapas, teve premiação total de USD 1 milhão (um milhão de dólares) e participação de duas equipes brasileiras, Rio de Janeiro e São Paulo DC, que ficaram em 4º e 7º lugar respectivamente.

Em todos esses anos, desde 2012, várias equipes representaram o Brasil no World Tour e apenas uma sabe o que é ser campeã. Em 2014, a dupla do Rio Preto Guarani, Fábio Santos (Sapão) e Rodrigo Del’Arco (Diguinho), se juntou a João Luciano (Macetão) e Márcio Vinícius, presidente da Associação Nacional de Basquete 3×3, para ganhar a etapa daquele ano realizada no Rio de Janeiro. Essa é uma das equipes que fazem parte do Hall da Fama da ANB3x3.

Estar presente nesse Hall significa ser parte importante da história do #3x3Brasil, tornando-se exemplo para as próximas gerações e ídolo para todo o público envolvido com a modalidade. Por esse motivo, a ANB3x3 decidiu que o público é quem vai escolher a equipe que entrará para o Hall da Fama em 2018. Confira os indicados, por ordem alfabética:

 

Corinthians

A primeira equipe feminina profissional de basquete 3×3 é de um dos maiores clubes do país. Se só o nome já atrai atenção, ver o time em ação e os resultados conquistados desde sua recente criação impressionam mais ainda, principalmente comparando a outras equipes femininas. Foram conquistados os títulos das duas etapas classificatórias e da final da II Copa do Brasil, além da primeira edição de Jogos Abertos do Interior com a modalidade basquete 3×3, quando jogaram representando a cidade de São Caetano. Os resultados coletivos trouxeram resultados individuais, com três atletas da equipes liderando o ranking feminino brasileiro e duas delas liderando o ranking Sub23. Atletas: Júlia Carvalho, Evelyn Larissa, Luana Ariescha e Vanessa Sassa, grupo com experiência na Liga de Basquete Feminino.

 

 

Rio de Janeiro

Terceiro colocado na Liga ANB3x3, o Rio de Janeiro foi campeão de duas classificatórias e da final do IV Circuito Paulista, conquistando vaga para o World Tour do México. E no torneio internacional foi o melhor brasileiro, ficando na quarta colocação após eliminar o São Paulo DC nas quartas de final. Atletas: Fernando Coloneze e Fred Santos, campeões do Novo Basquete Brasil (NBB) pelo Flamengo, André Stefanelli, que jogou todas as edições do NBB, Marcellus Sarmento, que jogou a Copa do Mundo em 2018 e foi campeão mundial universitário em 2014, Diego Conceição, campeão da Copa América em 2014, e André Brugger, que disputou 6 edições do NBB.

 

 

Rio Preto Guarani

Com um início de temporada abaixo do esperado para o nível da equipe, o Rio Preto Guarani chegou a novembro tendo sido campeão apenas da etapa de São José do Rio Preto do IV Circuito Paulista. Mas foi nesse mês que conseguiu seu melhor desempenho e mostrou poder de decisão, sendo campeão dos Jogos Abertos do Interior e da II Copa do Brasil em duas finais seguidas contra o São Paulo DC, ficando em segundo na Liga ANB3x3. Diguinho fechou a temporada como segundo maior pontuador da Liga ANB3x3 e mostrou que a dupla com Sapão segue capaz de conseguir grandes títulos, como foi o World Tour do Rio de Janeiro em 2014. Completam a equipe Tiago Nigro, Ygor Viana, com experiência de Liga Ouro pelo Macaé, Ulisses Lima, que já jogou NBB e em 2017 defendeu o São Paulo DC em Challenger e World Tour, e Alfredo Perandini, com experiência de quatro World Tours e duas temporadas de NBB.

 

 

São Paulo DC

Apesar de ter perdido as finais do IV Circuito Paulista, II Copa do Brasil e Jogos Abertos, o São Paulo DC foi o grande campeão da categoria Elite em 2018, ao vencer a primeira edição da Liga ANB3x3 de forma antecipada. Disputado por pontos corridos, o campeonato teve ao todo 13 etapas, das quais a equipe jogou 11, sendo campeão de 5 e vice em 2, justamente as finais de Circuito Paulista e Copa do Brasil. Com o título, levou a premiação de R$ 4 mil reais para o campeão, além das premiações individuais de Luiz Felipe Soriani e William Evangelista, primeiro e terceiro maior cestinha respectivamente. A dupla ainda disputou a Copa do Mundo em 2018 pelo Brasil, enquanto o São Paulo DC jogou dois Challengers e dois World Tours na temporada. Jonatas Mello, destaque nos eventos internacionais com enterradas e tocos, e Felipe Camargo transferido do SP Hi-Nutrition na janela de transferência do meio do ano, completam o quarteto principal que lidera o ranking brasileiro. Fecham o elenco Douglas Gorauskas, que era do quarteto principal nos anos anteriores, e Felipe Souza, integrante mais recente e que tem apenas dois torneios com a equipe.

 

 

A votação está sendo feita via Instagram e Facebook com @basquete3x3 e será fechada no dia 17 de dezembro. A equipe com mais likes somando as duas redes sociais é a vencedora e entra no Hall da Fama ANB3x3. É você quem escreve a história do #3x3Brasil.

 

OUTRAS NOTÍCIAS