NOTÍCIA

3x3 no mundo / Liga ANB3x3

Qual equipe brasileira está preparada para ganhar o WT?

Por: Edson Garcia

 

São Paulo, 6 de setembro de 2018 – Chegamos ao começo do mês de setembro e podemos dizer que este é um período fundamental para os planos do Brasil na temporada 2019. O corte para as competições por seleção de 2020 ocorre em novembro desse ano, mas também há o interesse em fazer com que as equipes comecem a temporada bem ranqueadas, com maior chance de competir nos eventos internacionais pelo mundo. Consequentemente, temos até novembro para pontuar o máximo possível.

Foi seguindo esse caminho que o São Paulo DC partiu para a Alemanha, aonde disputou o Challenger de Berlin. Entre as equipes participantes estavam Ulaanbaatar (MGL), Moscow (RUS) , Split (CRO) e Princeton (USA). Os brasileiros tinham o quinto melhor ranking e ficaram no grupo D com a equipe russa e um dos times alemães do evento. Com duas ótimas vitórias por 21, a equipe foi para as quartas de final com muita moral e passou sem muita dificuldade pelos dois adversários seguintes, Cologne (GER) e Kaunas East (LTU). Na grande final, a equipe de Soriani, Will, Jojo e Camargo enfrentou o melhor time americano de 3×3, Princeton, e fez jogo duro. Mesmo assim, os criadores do basquete vêm melhorando seu nível no 3×3 e bateram os brasileiros por 21 a 18. Você pode assistir ao jogo da final acessando Facebook.com/Basquete3x3 e ao restante do torneio em Youtube.com/Fiba3x3

Apesar do vice, a equipe conquistou pontos valiosos para se manter como time melhor ranqueado do país. Quem mais pontuou entre os brasileiros foi Soriani, que somou 75 mil pontos, mas o evento foi essencial para que Felipe Camargo assumisse a terceira posição no ranking brasileiro, que tem Soriani e Will como primeiro e segundo colocados respectivamente. É de se destacar também o ótimo desempenho que tem tido o Jonatas, conhecido agora como Jojo internacionalmente, e que para alguns tem sido um dos diferenciais do São Paulo DC apesar de só ter 24 anos.

A equipe paulista agora parte para o México, aonde jogará o World Tour nos dias 8 e 9 de setembro. Quem também está viajando para o país é o Rio de Janeiro, campeão do IV Circuito Paulista de Basquete 3×3. Os cariocas foram campeões de 3 dos 5 torneios ANB3x3 que jogaram no ano e nos outros dois conseguiu chegar ao bronze. Apesar do ótimo retrospecto, pesa contra eles a inexperiência da formação em eventos internacionais de 3×3 em 2018, por mais que o capitão, Coloneze, já tenha jogado World Tour pela equipe de Rio Preto em outra temporada, assim como Marcellus jogou World Tour e Copa do Mundo, e Diego Conceição jogou o Gigantes do 3×3 nesse ano contra Princeton (USA).

O grande destaque da equipe no momento é o Diego, que inclusive foi MVP e maior reboteiro das finais do IV Circuito Paulista, mas também são opções no elenco, Fred Santos, campeão do NBB pelo Flamengo junto ao Coloneze, André Brugger e Dedé Stefanelli, ambos também com experiência no NBB.

As duas equipes estão entre as que podem terminar a temporada com o título da Liga ANB3x3 e já conhecem o caminho que terão de trilhar no World Tour do final de semana, confira:

 

Obs: o São Paulo DC joga o Qualifying Draw A com Buenos Aires e Mexico City

 

Outro brasileiro que estará presente é o Leandro Discreto, que segue atuando profissionalmente fora do país e jogará pela equipe indiana de Delhi, podendo garantir mais alguns pontos preciosos para o Brasil no ranking. Vale destacar além da boa pontuação, as etapas de World Tour também possuem altas premiações, dando US$ 30 mil dólares para o campeão, US$ 20 mil para o segundo, US$ 12 mil para o terceiro e US$ 8 mil para o quarto, ou seja, chegar à semifinal é garantia de boa premiação em dinheiro, colocando também a equipe entre os possíveis finalistas da competição.

E aí, qual o seu palpite para o World Tour do México?