NOTÍCIA

Outros

Com FPB e ANB3x3, centro de treinamento específico da modalidade é realidade

Por: Edson Garcia

São Paulo, 19 de fevereiro de 2018 – A crescente do basquete 3×3 como esporte caminha junto ao aumento do número de interessados em jogar a modalidade. Pessoas do 5×5 querem migrar para o 3×3, crianças em época de fazer sua iniciação esportiva precisam de um lugar para se desenvolver, e para todos o 3×3 é uma via de fácil acesso. Claro, é uma modalidade que não precisa de muito para ser jogada, já que basta uma bola e uma tabela para ter a estrutura necessária para bater uma bola com os amigos, mas quando a busca é por lugares para treinar regularmente com um profissional capacitado, a história é outra.

Há um ciclo muito simples. Por ser um esporte novo, são pouquíssimos treinadores especializados no esporte, por não haver oferta de cursos, que por sua vez não existem pela falta (de existência ou de divulgação) de conhecimento científico específico. Essa bola de neve faz com que os treinadores interessados tenham de focar nos conhecimento gerais de um treinador, adquiridos com a formação em Educação Física, aliados ao conhecimento empírico de 3×3 e aquilo que der para aproveitar do 5×5, que na verdade não é muito também devido à diferença entre ambos. Somando-se à falta de espaço, o desenvolvimento do esporte seria muito lento, não fossem as medidas tomadas recentemente.

Não só projetos de pesquisas estão em desenvolvimento, como a Academia Brasileira de Treinadores do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) lançou o primeiro curso de treinadores de basquete 3×3 do Brasil. Também já aconteceu um curso de gestores de basquete, realizados por LA Sport Business e EEFUSP Junior na Universidade de São Paulo (USP), com apoio da ANB3x3, além do próprio Congresso Técnico do Basquete 3×3, realizado pela ANB3x3 com apoio da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (SEME) da cidade de São Paulo, em 2017. Esse é um processo inevitável e essencial para qualquer esporte.

Para resolver a questão da falta de oferta de espaço, não basta só realizar torneios. A Federação Paulista de Basketball (FPB) criou o projeto “Centro de Treinamento de Basketball 3×3” (CTB3x3), que começou suas atividades em 2017 no Ginásio de Esporte Mané Garrincha do Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa (COTP). Em 2018, o projeto entra em seu ano de afirmação e conta agora com o apoio da ANB3x3, que tinha o centro de treinamento de 3×3 como um dos projetos de seu planejamento. Essa é a oportunidade que muitos procuram para conhecer e se desenvolver no esporte, sendo então uma ótima ferramenta para formação de atletas específicos da modalidade, como deseja a Federação Internacional de Basketball (FIBA). Os treinos ocorrerão de forma gratuita às quartas e quintas, entre 18h e 20h, a partir do dia 21 de fevereiro, atendendo as categorias Sub18, Sub23 e Adulto Masculino/Feminino.

Buscando conhecer e apresentar melhor o projeto, entrevistamos o responsável pelos treinamentos do CTB3x3, o treinador Jones Louis Rodrigues:

 

Pergunta: Jones, você é um rosto conhecido de quem costuma ir aos eventos da ANB3x3, mas como começou a sua participação na modalidade?

Jones: Tudo começou em 2014, ANB3x3 através de seu presidente, Sr. Vinicius Cardozo, e também através de um dos seus diretores, Sr. Alex Negret, me convidou para fazer parte dos eventos que a entidade realizava. Trabalhei em alguns eventos, mas como sou muito interessado no que faço, comecei a buscar tudo sobre o 3×3, organização de eventos, equipes, a assistir muitos jogos, estudar regras, estudar equipes com seus diferentes estilos de jogo etc.

P: Qual a sua formação?

J: Sou Professor de Educação Física desde 2003, Pós-Graduado em Fisiologia do Exercício pela USP, Pós-Graduado em Gestão de Negócios pela Unisantana, e participei também muitos cursos e palestras específicas de basquete.

P: Qual a importância de oferecer treinos gratuitos de 3×3 e quais objetivos foram traçados junto à FPB, principalmente agora que é uma modalidade olímpica?

J: A FPB deu um salto enorme criando o CTB3x3, viabilizando o acesso do público que estava carente de lugares para conhecer e aprimorar seu jogo, assim atletas e equipes passaram a ter um lugar para treinar. O primeiro objetivo foi concluído, criar o CTB3x3, agora temos que dar um passo importante que é criar uma metodologia de treinamento, criar um estilo de jogo, uma identidade que seja da nossa cultura, às vezes buscamos características de jogo em times estrangeiros que não se adequem às nossas características de jogo.

P: O projeto começou no ano passado, então quais resultados já foram alcançados e qual sua perspectiva para esse ano?

J: Sim começamos em 2017, foram 6 meses de muito aprendizado, a cada treino tínhamos mais participantes, cerca de 30 atletas treinando. E interessante é que equipes começaram a participar dos treinamentos com o objetivo de melhorar seus desempenhos na competição e atletas buscando desenvolvimento individual.  Em 2018 passamos a ter um papel muito mais importante e a ter uma responsabilidade enorme que é desenvolver atletas para que futuramente tenhamos jogadores com as raízes totalmente no 3×3.

P: Quem quiser fazer parte dos treinos precisa fazer algum tipo de cadastro?

J: As inscrições são no local todas as quartas, das 18h às 20h, e o atleta precisa ter em mãos atestado médico que indique que ele está apto a fazer atividade física.

P: Os treinos são para diferentes categorias, há alguma separação das categorias adultas e menores ou os treinos são feitos com todos juntos independente de nível, categoria e sexo?

J: O treino é para sub 18, sub 23 e adulto em ambos os sexos. Como dividimos o treino em três partes, a primeira e segunda parte todos fazem juntos e na terceira parte, que é mais especifica, dividimos a turma.

P: Sendo possível treinar sem necessidade de vínculo, significa que alguns jogadores podem aparecer só uma vez, como pode acontecer de a procura ser grande e haver lotação da turma. Essa incerteza do número de pessoas em cada treino pode te atrapalhar e mudar o treino planejado?

J: Lotação é tudo que quero que aconteça, é bom para os treinos, bom para modalidade, e eu vou ter que me virar (risos). Um dos objetivos é ter mais dias e horários, precisamos dessa lotação para que aconteça. Estamos de portas abertas para atletas que queiram se desenvolver individualmente, como também para equipes que hoje não têm um técnico. Estaremos lá para isso, trocar informações e ajudar todos que queiram crescer no 3×3.

P: A periodização dos treinos é essencial para que os objetivos individuais ou coletivos sejam alcançados. Foi possível fazer isso mesmo com a incerteza do número de pessoas em cada um dos treinos?

J: Tivemos atletas que foram em todos os treinos, isso é o mais importante dar continuidade. Montamos um ciclo, treinos com fundamentos específicos do 3×3, que difere muito do convencional, além de treinos físicos e táticos

P: Falando agora especificamente de você, qual a importância desse projeto para a sua carreira e quais os seus objetivos profissionais?

J: Está me trazendo uma experiência enorme, podendo trabalhar com diferentes atletas e equipes de diversos níveis e ver o desenvolvimento de cada um, saber que de alguma forma estou ajudando. Essas experiências estão fazendo com que eu tenha  um aprimoramento profissional enorme e com isso, naturalmente, oportunidades irão aparecer. Quanto aos meus objetivos, um deles é estar à frente de uma equipe profissional de basquete 3×3.

P: Sabemos que você é responsável pelo projeto Instituto Desportivo Educacional Drible Certo, que inclusive tem uma equipe de 3×3 que vem sendo preparada há anos para ser uma das principais do país futuramente. O que é exatamente o projeto, como nasceu e quais os objetivos com a equipe de 3×3?

J: É uma entidade sem fins lucrativos que hoje atende crianças, adolescentes e adultos com objetivo de ser um mediador entre politicas públicas e sociedade. E quando surgiu o 3×3 no cenário do basquete, não podíamos deixar nossos alunos de fora, então inserimos o basquete 3×3, hoje denominado de projeto “ESPORTE EM AÇÃO – BASQUETE E BASQUETE 3X3”. Criamos uma equipe, onde eles respiram basquete 3×3, treinam 3 vezes por semana por 2h. Em nosso primeiro ano (2017) conquistamos alguns campeonatos na categoria Open, agora para 2018 continuaremos na categoria Open e, eventualmente, jogaremos na categoria Elite, pensando em nossa meta que é jogar na Elite a partir de 2019. Nossa equipe tem atletas preparados e que, através de muitos treinos e jogos, aprenderam a jogar o 3×3 num bom nível, exigiu muito empenho de todos.

Agora que você tem todas as informações necessárias, não deixe de comparecer ao CTB3x3 para conhecer e/ou aprimorar o seu jogo #3x3Brasil #ANB3x3 #CTB3x3

42041d91-e4ba-4ab6-bb8e-2b0754c59258

OUTRAS NOTÍCIAS